Quarta, 12 de Maio de 2021 05:32
51 98419-1295
Polícia Água Santa / RS

Vacinas falsificadas são encontradas pela polícia em Água Santa

Segundo a polícia já foram identificados pelo menos outros três municípios da região que receberam as vacinas.

05/05/2020 17h36
660
Por: Redação Acontece no RS Fonte: Rádio Uirapuru
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Vacinas de um lote investigado por ser supostamente falsificado, foram encontrados pela polícia em uma farmácia no município de Água Santa, distante cerca de 50 quilômetros de Passo Fundo, na manhã desta terça-feira, 05.

O medicamento foi localizado depois de diligências policiais dentro da operação denominada “Anticorpo” desencadeada pela 1ª Delegacia de Polícia de Combate à Corrupção (1ª DECOR) com apoio da Draco de Passo Fundo.

A investigação teve início no dia 24 de abril, depois que funcionários da prefeitura de Coxilha, que havia adquirido um lote de vacinas contra influenza, desconfiaram da procedência do produto e contataram o laboratório fabricante que confirmou que aquele lote não teria sido produzido pela empresa.

Dois empresários suspeitos, moradores de Passo Fundo, teriam vendido o medicamento em diversos municípios da região, incluindo a farmácia de Água Santa onde o produto foi localizado na manhã de hoje.

Em entrevista a Rádio Uirapuru na manhã desta terça-feira, o Delegado responsável pela Operação Anticorpo, confirmou que já foram identificados alguns municípios que teriam adquirido as vacinas. “Há alguns municípios, que neste momento preferimos não declinar, com clínicas, farmácias e para aplicação particular que possivelmente tenham adquirido medicamentos deste mesmo lote”, disse o delegado.

Segundo a polícia já foram identificados, pelo menos outros três municípios da região que receberam as vacinas.

De acordo com o delegado, foram localizados em um destes municípios cerca de 60 vidros da vacina do mesmo lote distribuído em Coxilha. “A maioria, infelizmente, já haviam sido aplicados. Então precisamos entender se há mais pessoas envolvidas e possivelmente sim”, disse Max Otto Ritter.

A polícia civil ouviu na manhã de hoje, pessoas que trabalham em farmácias e clínicas dos municípios que receberam o medicamento suspeito de falsificação.

As investigações prosseguirão para identificar outras pessoas que possam estar envolvidas no crime que é tratado como estelionato tentado, bem como crimes hediondos de falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais.

Quer fazer parte do grupo do Portal Acontece no RS no WhatsApp? CLIQUE AQUI para entrar no grupo!

Curta também nossa página no Facebook, assim você fica sempre atualizado com as últimas notícias de todo o Rio Grande do Sul.

Acontece no RS no Facebook: https://www.facebook.com/acontecenors

 

 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.