governo do RS

Por investimentos, Leite viajou 71 dias no primeiro ano de governo do RS

Levantamento feito a partir dos registros públicos do governo do Estado e do twitter do governador mostra datas, destinos e compromissos do chefe do Executivo fora do Estado.

29/11/2019 13h04
Por: Redação Acontece no RS
Fonte: Correio do Povo
82
Leite disse estar absolutamente tranquilo em relação aos comentários sobre as viagens | Foto: Guilherme Testa / CPMemória
Leite disse estar absolutamente tranquilo em relação aos comentários sobre as viagens | Foto: Guilherme Testa / CPMemória

O governador Eduardo Leite (PSDB) viajou ou manteve agendas fora do RS em 71 destes seus primeiros 333 dias (até esta sexta, 29 de novembro) à frente do Executivo gaúcho. Em outros 43 dias que antecederam ou sucederam as viagens, mais da metade deles sábados e domingos, não ocorreram registros oficiais da participação do governador em eventos públicos. Entre janeiro e o final de novembro, o principal destino nacional de Leite fora do RS é São Paulo, para onde o tucano fez 10 viagens no primeiro semestre e nove até agora no segundo. Na sequência vem Brasília: seis vezes no primeiro semestre e sete no segundo. Em várias ocasiões, as viagens a SP e Brasília fazem parte de um mesmo roteiro. Entre os deslocamentos nacionais, no primeiro semestre Leite também foi ao Rio de Janeiro (três vezes) e a Minas Gerais (uma). No segundo semestre ele esteve uma vez no Espírito Santo e outra em Santa Catarina.

Para destinos internacionais o governador viajou mais no segundo semestre: foram quatro viagens entre julho e novembro, uma delas para dois diferentes países, na América do Norte e na Ásia. E duas no primeiro, uma delas também para dois países, na América do Norte e na Europa. Nestes primeiros 11 meses, o governador esteve em cinco países: Estados Unidos, Inglaterra, Chile, Uruguai e Singapura. Aos Estados Unidos foram quatro viagens: uma no primeiro semestre e três no segundo. A viagem do primeiro semestre fez parte de um roteiro que teve a segunda etapa na Inglaterra. E uma das viagens do segundo, em setembro, fez parte de outro roteiro conjugado, que terminou em Singapura.

O que domina as agendas fora do Estado, no caso de Brasília, são reuniões com integrantes do Executivo federal, no Senado, na Câmara dos Deputados e audiências com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A principal pauta registrada nas viagens de Leite a capital federal foi a defesa da reforma da previdência, já sancionada, e os debates acessórios como PEC Paralela e previdência dos militares. Em pelo menos oito das incursões a Brasília a previdência ganhou destaque. A adesão ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) foi tema de reuniões com o ministro da Economia, Paulo Guedes, em fevereiro, julho, agosto e outubro, e com o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, neste final de novembro. Apesar de o governo federal estar formatando um outro plano de auxílio a estados. Liberação de recursos, projetos e as regras da divisão dos recursos do pré-sal também foram objeto das passagens de Leite por Brasília.

Nos demais lugares, Leite participa de palestras sobre temas diversos promovidos por instituições sem fins lucrativos, fundações, instituições financeiras, entidades de classe e veículos de imprensa e apresenta oportunidades de investimentos no Estado. Também integra encontros institucionais com outros governadores. As viagens internacionais são, via de regra, de apresentação de oportunidades no RS ou para participação em cursos e palestras. No caso das viagens aos Estados Unidos, o próprio Palácio Piratini destacou que três foram custeadas por seus organizadores. A de julho tem entre eles a Comunitas, uma associação privada, sem fins lucrativos, vinculada a setores empresariais. As de setembro e novembro foram a convite da Fundação Lemann. A Lemann também é uma organização sem fins lucrativos, criada pelo empresário Jorge Paulo Lemann.

Os meses em que Leite permaneceu mais tempo em viagem foram os de setembro (10 dias com roteiros registrados e sete sem registros públicos antes, durante ou após as viagens) e maio (11 dias de roteiros registrados e um sem registro anterior a uma viagem). Em março, o governador permaneceu 13 dias ausente ou sem registro público, mas, em seis deles, o afastamento foi no período de Carnaval. Os dados sobre as viagens foram obtidos a partir dos registros oficiais feitos no portal do governo do Estado e das postagens feitas no twitter do governador.

Governador: ausências são em nome do Estado

Na manhã desta quinta-feira, 28, após novamente ter recebido a imprensa para falar do pacote das reformas administrativa e previdenciária, o governador Eduardo Leite (PSDB) disse estar absolutamente tranquilo em relação aos comentários sobre as viagens e não considera que elas possam prejudicar de alguma forma os projetos do Executivo. “Sou muito presente. Todas as ausências, elas são em nome do Estado. As viagens não me dão prazer. São longas e cansativas. Mas a solução para os problemas do RS passa por Brasília, pelo governo federal, pelo Congresso e pelo STF. E, economicamente, estas soluções também passam pelos grandes centros, como São Paulo”, respondeu. Sobre os roteiros internacionais, Leite assinalou que parte não teve custo para os cofres públicos, já que ele viajou a convite, e apontou a importância do conhecimento de experiências exitosas em outros países, em diferentes áreas.

Na semana passada, durante sua participação na reunião-almoço ‘Tá na Mesa’, na Federasul, também para falar do pacote, Leite já havia feito uma defesa das ausências. “Tenho que fazer o meu papel, levar a informação do que estamos fazendo aqui no Estado, porque o RS passou a ser falado constantemente como um estado problema. Quer falar de problema no Brasil, fala do RS. Isso contamina, estigmatiza, e é ruim economicamente.”

Na sequência, o tucano disse que o Estado depende da relação com o governo federal, que são necessárias negociações intensas e que isto inclui estar presente e se fazer conhecer. “Eu tinha uma dificuldade a mais, por ser um governador que não foi deputado antes. Não era conhecido nacionalmente. E não é uma questão de vaidade, é de posicionar o Estado. Eu precisava me fazer conhecer para que as pessoas soubessem com quem estão lidando. E para que sejamos mais lembrados pelas soluções do que pelos problemas”, disse.

Integrantes da base aliada fazem críticas

Acompanhadas à distância por integrantes da base aliada na Assembleia Legislativa e por integrantes do Judiciário que, há meses, internamente, fazem comentários críticos às ausências, os deslocamentos para fora do Estado agora são alvo da atenção de entidades de servidores, que pretendem relacionar seu custo/benefício para o RS. Entre aliados, alguns momentos são apontados como com potencial para desgaste.

Em 15 de maio, por exemplo, coube ao vice, Ranolfo Vieira Júnior (PTB) fazer a entrega da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020 na Assembleia gaúcha. Leite estava nos EUA. Em 9 de julho, quando o Legislativo aprovou a LDO com congelamento total do orçamento, o tucano estava em Brasília.

Em 11 de setembro, e em meio a polêmica do congelamento de gastos, de novo, foi Ranolfo quem entregou ao presidente do Legislativo o Projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2020. O governador estava em Singapura. Em 18 de setembro, o tucano retomou as agendas no Piratini. No mesmo dia em que o governo foi obrigado a cancelar a venda de ações do Banrisul, por elas não terem alcançado o preço mínimo desejado. Na semana que antecedeu a operação, enquanto a opção da venda era alvo de questionamentos pesados de parte do mercado, de aliados e da oposição, o chefe do Executivo estava ausente. Uma semana depois, na manhã de 24 de setembro, quem comandou o ato de abertura dos portões da Expointer, em Esteio, também foi o vice. Leite estava no Espírito Santo, para um encontro de governadores. No dia 30, na abertura oficial da feira, ele estava presente.

Em 4 de novembro, Leite não participou do anúncio de que seriam feitas mudanças no pagamento do IPVA, realizado pela Secretaria da Fazenda, e  que acabou gerando forte reação da sociedade, além de críticas de aliados. Ele havia tido agendas públicas registradas na manhã do dia 1º, sexta, e, depois, na tarde do dia 4. No dia 5, o tucano anunciou, em coletiva, que as mudanças estavam suspensas para 2020. Em 13 de novembro, parlamentares da base aliada voltaram a mostrar insatisfação quando o governador, após informar em um café da manhã que enviaria o pacote das reformas administrativa e previdenciária ao Legislativo naquele dia, não protocolou pessoalmente os projetos, delegando a tarefa ao líder do governo na Assembleia e embarcando, à noite, para os Estados Unidos. Depois, no dia 26, enquanto os deputados votavam o Orçamento de 2020, Leite estava em Brasília, defendendo alterações no projeto da previdência dos militares.

Os roteiros

JANEIRO

• 14 (segunda-feira pela manhã): participou da abertura da Couromoda, em SP, seguida por encontro com governador João Dória. No sábado anterior, 12, o governador visitou municípios atingidos pelas chuvas na Fronteira Oeste. Não há registro de agenda no domingo, 13. Na terça-feira à tarde Leite teve agendas no Piratini.

• 29 (terça-feira final do dia) e 30 – Leite se reuniu, em SP, com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Divulgação da viagem incluiu ainda reuniões com governadores de outros estados, com integrantes da GM e do Instituto Ayrton Senna. No twitter, Leite fez referência a reunião organizada pela Comunitas entre governadores e o secretário especial da previdência. Últimas agendas públicas no RS antes da viagem aconteceram na segunda-feira, 28, à tarde. As agendas no Piratini foram retomadas no dia 31 pela manhã.

FEVEREIRO

• 4 (segunda-feira) – Em sua primeira viagem a Brasília como governador, Leite participou da apresentação do pacote Anticrime, teve audiências com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e com o ministro Ricardo Lewandowski, do STF. Foi à sede da ONU para, conforme o divulgado, discutir acordos de cooperação técnica, e assinou protocolo de intenções para cursos com a Escola Virtual de Governo. Na tarde de terça-feira, 5, retomou as agendas em Porto Alegre. Antes da viagem, a última agenda pública divulgada foi a participação na abertura da 19ª Festa Nacional do Churrasco, na sexta-feira, 1º, em Lagoa Vermelha. 

• 18 (segunda-feira): governador teve agenda até a tarde no Piratini e depois foi para o RJ, onde se reuniu, à noite, com o presidente da Eletrobras e, no dia 19, com o presidente do BNDES.

• 19 (terça-feira): em Brasília, registrou reuniões na Câmara dos Deputados e no Senado. Na quarta, 20, participou da 3ª edição do Fórum dos Governadores, e teve audiência com o ministro Gilmar Mendes, do STF. Ele retomou as agendas no RS na quinta-feira, 21, à tarde, com participação na Assembleia de Verão da Famurs, em Torres.

• 27 (quarta-feira): pela manhã, governador participou da 20ª Ceo Brasil Conference, promovida pelo BTG Pactual, em SP. Na quinta, 28, pela manhã, estava de volta ao Piratini. Antes da viagem, sua última agenda pública divulgada foi a participação na abertura da Fimec, em Novo Hamburgo, na tarde de terça-feira, 26.  

MARÇO

• 1º (sexta-feira): Na véspera do Carnaval, Leite transmitiu pela primeira vez o cargo para o vice, Ranolfo Vieira Júnior (PTB), que permaneceu no posto até o dia 6 (quarta-feira de Cinzas). O primeiro registro de agenda do tucano após o Carnaval aconteceu na manhã de quinta, 7, com a posse da secretária Ana Amélia Lemos no Piratini.

• 16 (sábado): em Belo Horizonte, governador participou da criação do Consórcio dos Estados do Sul e do Sudeste (Cosud). À época, assessoria divulgou viagem iniciada na quinta-feira, 14, pelo RJ. A última agenda pública registrada no RS foi na quarta, 13. As agendas no Piratini foram retomadas na segunda-feira, 18.

• 26 (terça-feira): Leite participou do Fórum dos Governadores, em Brasília. Também teve reunião com representante da Toyota. Na quarta, 27, pela manhã, estava de volta ao Piratini. Antes da viagem, a última agenda pública foi na segunda, 25, à tarde.

• 28 (quinta-feira): em SP, pela manhã o governador participou do 3º GRI PPPs e Concessões, promovido pelo GRI Club Infra LatAm, com apoio do Banco Mundial e da Frente Nacional de Prefeitos. À tarde, fez apresentação a investidores dos primeiros projetos do RS Parcerias, programa de concessões e PPPs de sua gestão. Não foram divulgadas agendas públicas na sexta-feira, 29. Na manhã de sábado, 30, Leite estava de volta ao RS, com agendas em Tupanciretã, São Borja e Santa Rosa.

ABRIL

• 5 (sexta-feira): governador viajou a Campos do Jordão, em SP, para o Fórum Empresarial Lide. Não há registro de agendas públicas no final de semana. Na segunda-feira, 8, estava de volta ao Piratini, com reunião com o ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

• 22 (segunda-feira): em SP, governador fez visita ao grupo Petrópolis (em Boituva) e depois ao Instituto Natura. Na terça, 23, pela manhã, retomou agendas no Piratini. Antes da viagem, as últimas agendas públicas ocorreram na tarde da quarta-feira, 17. Não há registros dos compromissos nos dias 18, 19, 20 e 21.

• 27 (sábado): em SP, Leite participou, pela manhã, do segundo encontro do Cosud. À tarde, visitou o Centro de Operações da PM de SP. Não há registro de agendas públicas no domingo, 28. Na segunda-feira (29) à tarde, ele retomou agendas no Centro Administrativo Fernando Ferrari (CAFF). Antes da viagem, na sexta à tarde, manteve audiências no Piratini.

• 30 (terça-feira): governador cumpriu roteiro em Brasília, onde manteve encontros com o presidente Jair Bolsonaro e ministros. No dia 1º pela manhã ele retomou as agendas no RS.

MAIO

• 6 (segunda-feira): no RJ, palestrou no Instituto de Estudos de Política Econômica Casa das Garças. Na terça, 7, à tarde, estava no Piratini, de onde acompanhou a votação do segundo turno da PEC das privatizações. Antes da viagem, a última agenda registrada foi no domingo, 5, quando participou do Festival de Balonismo, em Torres.

• 8 (quarta-feira): em Brasília, participou da reunião de governadores com Bolsonaro e os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre, e da Câmara dos Deputados , Rodrigo Maia. Também teve reuniões com ministros do Executivo e audiência com o ministro Gilmar Mendes, do STF. No dia 9, à tarde, retomou agendas no Piratini.

• 11 (sábado): governador deu início a seu primeiro roteiro internacional após assumir o cargo, com programação em Nova Iorque, nos Estados Unidos, e em Londres, na Inglaterra. O objetivo, conforme divulgado pelo Executivo, foi apresentar a investidores e operadores do mercado financeiro oportunidades de negócios no Estado. Leite saiu de Londres na noite do sábado seguinte, 18. E retomou as agendas no RS no final da manhã da segunda, dia 20.

JUNHO

• 3 (segunda-feira): Em SP, governador participou de encontro com integrantes do PSDB. Antes da viagem, a última agenda pública registrada no RS aconteceu na quinta-feira, 30 de maio, à noite.

• 4 (terça-feira): Leite fez segundo roteiro internacional, de dois dias, no Chile, para, conforme o divulgado, buscar oportunidades de negócios. A missão foi encerrada no dia 5 e as agendas públicas no RS retomadas na quinta-feira, 6.

• 11 (terça-feira): em Brasília, o tucano participou do Fórum dos Governadores, almoçou com a bancada gaúcha, assumiu a presidência do Codesul e recebeu a medalha da Ordem do Rio Branco. Antes da viagem, na segunda-feira, deu expediente no Piratini.

• 12 (quarta-feira): em SP participou, pela manhã, de evento do jornal O Estado de São Paulo sobre a relevância da indústria automobilística para os estados. Retomou as agendas no RS na manhã do dia 13.

• 27 (quinta-feira): em rápida viagem a SP, palestrou em evento do Credit Suisse pela manhã, sobre oportunidades e negócios no RS. Nas tardes dos dias 26 e 27 manteve compromissos no RS.

JULHO

• 9 (terça-feira): no início da tarde foi a Brasília, acompanhar discussões sobre reforma da Previdência. Esteve na Câmara dos Deputados na terça e no Senado na quarta, 10, quando também foi recebido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Antes da viagem, sua última agenda pública no Piratini ocorreu na segunda, 8. Após, as retomou na manhã da quinta-feira, 11.

• 18 (quinta-feira): início de nova viagem aos Estados Unidos, integrando comitiva para o International Program for Public Leaders, curso da Comunitas com a Leadership Academy for Development (LAD), um projeto do Center on Democracy, Development and the Rule of Law (CDDRL), da Universidade de Stanford, em parceria com a Escola Johns Hopkins de Estudos Internacionais Avançados. Governo destacou na divulgação que viagem não teve custo para os gestores convidados.  Manteve reuniões no BID e no Bird. Antes da viagem, sua última agenda pública registrada foi na terça-feira, 16. Depois, retomou expediente no Piratini na tarde da outra terça, 23. Não há registro de agendas públicas em 19, 20, 21 e 22.

AGOSTO

• 6 (terça-feira): em Brasília, participou do Fórum de Governadores, teve reuniões com o ministro Paulo Guedes e no BNDES. Na noite de quarta, 7, participou, também em Brasília, da criação da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Cultura Gaúcha, conhecida como ‘bancada da bombacha’. No twitter, em postagem no dia 7, Leite fez referência a uma extensa agenda com empresários em São Paulo antes do retorno a Brasília, mas a página do governo não traz registro desta parte da viagem. Na segunda-feira antes da viagem estava no Piratini onde retomou os compromissos no dia 8, quinta.

• 12 (segunda-feira): em SP, participou de eventos do Santander e da Câmara Oficial Espanhola de Comércio no Brasil. No final de semana anterior, sua última agenda pública registrada foi na tarde de sábado, em Santo Ângelo. Retomou compromissos no RS na tarde de terça, 13.

• 20 (terça-feira): À tarde, deu início a missão de dois dias no Uruguai, que incluiu encontro com o presidente Tabaré Vásquez. Retornou no dia 21 e retomou agendas no dia 22, quinta, à tarde. No dia 20 pela manhã também estava no Piratini.

• 24 (sábado): em Vitória, no Espírito Santo, participou da reunião do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud). Não há registro de agendas públicas na sexta-feira, 23, que antecedeu a viagem. No twitter, Leite faz referência a gravação de participação em um programa da BandTV, em SP. Retomou as atividades no RS no domingo, 25, na Expointer.

• 27 (terça-feira): em Brasília, no final do dia, teve reunião com o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, sobre o debate envolvendo o congelamento da LDO. Também se reuniu com o senador Cid Gomes (PDT/CE). No dia 28 pela manhã estava na Expointer. Antes da viagem, cumpriu agenda no RS na noite da segunda, 26. No twitter, faz referência a sua participação, antes de chegar a Brasília no dia 27, no Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura, em SP.

SETEMBRO

• 4 (quarta-feira): à noite estava em Brasília, na Câmara dos Deputados. Permaneceu em Brasília na quinta, 5, onde palestrou na Conferência de Cidades Latino-americanas. Antes da viagem cumpriu agenda no Piratini até a tarde de quarta.

• 6 (sexta-feira): começou novo roteiro internacional, promovido pela Fundação Lemann, Instituto Humanize e ONG Republica.org. A viagem teve início por Miami, nos Estados Unidos, onde, no dia 6, conheceu uma escola comunitária. Não há registros de agendas públicas nos dias 7, 8 e 9. Os registros recomeçam no dia 11, já em Singapura, onde há referência a um jantar de boas-vindas ocorrido dia 10 (terça-feira), e ao início de uma imersão de três dias sobre gestão de pessoas a partir do dia 11. Depois, também, a uma visita ao Fundo Soberano de Singapura. No dia 13 Leite começou a viagem de volta ao Brasil. Reassumiu o cargo no dia 16, mas de Brasília, onde participou, neste dia, da audiência de conciliação sobre a LDO no STF. Ao RS voltou no dia 17, e retomou as agendas no dia 18.

• 23 (segunda-feira): em SP, palestrou na Associação Comercial de SP. Antes da viagem, o último registro de agenda pública foi na manhã de sexta, 20, no Desfile Farroupilha. Retomou os compromissos no RS na tarde do dia 24.

OUTUBRO

Sem viagens registradas, nas datas anteriores aos finais de semana dos dias 5/6 e 12/13, encerra as agendas públicas mais cedo. Antes do final de semana de 5/6, seu último compromisso público registrado foi na noite de quinta, 3, na abertura oficial da Fenachamp. Na segunda, 7, pela manhã, estava no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff). Antes do fim de semana de 12/13, o último compromisso público registrado foi na manhã de sexta, 11, em Porto Alegre. Na manhã de segunda, 14, estava no Piratini.

• 19 (sábado): em Florianópolis, participou, pela manhã, do encontro do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud). Última agenda anterior no RS foi na tarde de sexta, na abertura da Oktoberfest, em Igrejinha. Retomou o expediente no Piratini na tarde de segunda, 21.

• 23 (quarta-feira): em Brasília, à tarde, teve reuniões na Secretaria Nacional de Aviação Civil e, depois, com o ministro Paulo Guedes. A última agenda anterior registrada no Piratini foi na noite de 22. Não há registro de agenda pública na quinta, 24.

• 25 (sexta-feira): em SP, participou de evento organizado pela Comunitas sobre setor público. Novo registro de compromisso público no RS ocorre na noite de segunda, 28, no jantar de 70 anos do Sinduscon. O jantar e uma reunião com a Famurs, na tarde de terça, 29, são as duas agendas registradas antes de nova viagem, no dia 30.

• 30 (quarta-feira): em SP, palestrou em evento promovido pelo jornal O Estado de São Paulo. Na manhã do dia 31 estava de volta ao Piratini.

NOVEMBRO

Novamente sem viagem registrada, na véspera do final de semana dos dias 2/3 os registros de agendas públicas se encerraram na manhã de sexta, 1º, e foram retomados na tarde da segunda, 4.

• 11 (segunda-feira): em Brasília, teve audiência com a ministra Carmen Lúcia, do STF, com diferentes ministros do Executivo, com o presidente do Senado, e assinou acordo com o Pnud. Antes da viagem, o último compromisso público foi registrado na tarde de sexta, 8. Na manhã de 12, terça, teve compromissos no Piratini.

• 13 (quarta-feira): embarcou para Nova Iorque, EUA, para participar do Lemann Dialogue 2019, conferência realizada nos dias 14 e 15 e que teve como tema a formulação de políticas com base em evidências. Evento é organizado por centros de estudos brasileiros das universidades de Columbia, Harvard, Stanford e da Universidade Urbana Champaign da Universidade de Illinois, com doações da Fundação Lemann. Conforme divulgado pelo governo do Estado, a viagem foi inteiramente custeada pelos organizadores. Leite retomou as agendas públicas no RS na segunda-feira, 18.

• 23 (sábado): em SP, palestrou no 2º Encontro Nacional de Liderança e Gestão Pública, promovido pela Liderança Pública (CLP), uma organização sem fins lucrativos. Antes da viagem, cumpriu agenda no RS no dia 22. E, na volta, no dia 25, segunda. Não há registro de compromissos públicos no domingo, 24.

• 26 (terça-feira): em Brasília, teve reuniões no Executivo federal, onde tratou do Regime de Recuperação Fiscal e das reformas, no Senado, sobre previdência dos militares e relação com estados, e com o ministro Marco Aurélio Melo, do STF (sobre a liminar que suspende o pagamento das parcelas da dívida). Na manhã de 27 estava de volta ao RS.

• 28 (quinta-feira): após cumprir agenda no Piratini ao longo do dia, governador viajou a SP, onde, na manhã desta sexta, 29, participa da sessão pública de abertura das propostas da PPP da Corsan na Bolsa de Valores.

Quer fazer parte do grupo do portal Acontece no RS no WhatsApp? CLIQUE AQUI para entrar no grupo!

Curta também nossa página no Facebook, assim você fica sempre atualizado com as últimas notícias de todo o Rio Grande do Sul.

Acontece no RS no Facebook: https://www.facebook.com/acontecenors

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.