Sábado, 22 de Janeiro de 2022
Política Política

Partido Novo segue em busca de um pré-candidato ao Governo do Rio Grande do Sul

Presidente da legenda crê que há espaço na corrida ao Palácio Piratini

14/01/2022 às 08h56
Por: Redação Acontece no RS Fonte: Rádio Guaíba
Compartilhe:
Ribeiro é o líder do partido desde 2020, quando foi alçado ao cargo por um dos fundadores. Foto: Novo/Divulgação
Ribeiro é o líder do partido desde 2020, quando foi alçado ao cargo por um dos fundadores. Foto: Novo/Divulgação

O presidente nacional do Partido Novo, Eduardo Ribeiro, vê o Rio Grande do Sul como um território estratégico no projeto de expansão da legenda ao longo dos próximos pleitos. Por isso, planeja ampliar o quadro de políticos – que, hoje, já é representado por gaúchos na Câmara dos Deputados, Assembleia Legislativa e Câmara Municipal de Porto Alegre.

> Receba todas as notícias do Portal Acontece no RS no seu WhatsApp. Clique aqui.

Em entrevista ao programa Agora, da Rádio Guaíba, nesta sexta-feira (14), o consultor revelou que segue em busca de um pré-candidato ao Palácio Piratini. Para Ribeiro, a corrida ao Palácio Piratini repetirá a polarização que se desenha na disputa à presidência da República, entre direita e esquerda. A aposta é se mostrar como alternativa.

“Caberia sim um nome do Novo, com o perfil que nós oferecemos. Queremos também um candidato ao Senado. Hoje temos dois possíveis candidatos a deputado federal, o (atual parlamentar) Marcel Van Hattem e o (deputado estadual) Fábio Ostermann”, afirma o catarinense, que ocupa a presidência nacional do Novo desde 2020.

Eduardo Ribeiro foi alçado à liderança do partido pelo ex-presidente e cofundador da legenda, João Amoêdo. No entanto, desde que assumiu, entrou em rota de colisão com o empresário que concorreu ao Palácio do Planalto em 2018. Há pouco mais de um mês, foi criticado por, supostamente, “ir contra os princípios dos fundadores”.

Em uma rede social, Amoêdo acusou Ribeiro de “tentar alterar o estatuto partidário de forma irregular, visando ter mais poder de decisão”. O atual presidente do Novo rebateu as acusações, afirmando que elas “não possuem o menor sentido”, e hoje acredita que os atritos percebidos na base da estrutura partidária são fruto da inexperiência.

“Nós somos de fora da política. Quando você pega a árvore genealógica de todos os partidos, o Novo é o único que brotou da sociedade civil. Então, temos muito a amadurecer. Tenho certeza absoluta que, hoje, nós temos quadros muito fortes dentro do partido e isso vai nos ajudar a superar”, ressalta o catarinense.

A avaliação é de que as Eleições de 2022 ainda farão parte do processo de crescimento da legenda, que projeta galgar mais representatividade a partir de 2024. Atualmente, os principais postos ocupados pelo Novo são o Governo de Minas Gerais, por meio da figura de Romeu Zema, e a Prefeitura de Joinville/SC, com Adriano Silva.

> Receba todas as notícias do Portal Acontece no RS no seu WhatsApp. Clique aqui.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.