Segunda, 24 de Janeiro de 2022
Justiça Litoral Norte

Justiça interroga acusadas pela morte do menino Miguel no Litoral Norte

Mãe e companheira dela serão ouvidas nesta sexta-feira pelo juiz Gilberto Pinto Fontoura no Foro de Tramandaí.

19/11/2021 às 11h00
Por: Redação Acontece no RS Fonte: Correio do Povo
Compartilhe:
Corpo da vítima foi levado dentro de mala até o rio Tramandaí, em Imbé | Foto: IGP / Divulgação / CP
Corpo da vítima foi levado dentro de mala até o rio Tramandaí, em Imbé | Foto: IGP / Divulgação / CP

O interrogatório das acusadas pela morte do menino Miguel dos Santos Rodrigues, de sete anos, acontece nesta sexta-feira na da 1ª Vara Criminal e do Júri da Comarca de Tramandaí, no Litoral Norte. A mãe da vítima e a companheira dela serão ouvidas pelo Juiz de Direito Gilberto Pinto Fontoura no Foro.

Ao longo da última quinta-feira foram realizadas as oitivas de 12 das 22 testemunhas convocadas no processo que apura as responsabilidades pelo crime, ocorrido em julho deste ano em Imbé. As outras dez prestarão depoimentos nesta sexta-feira.

O processo judicial tem a participação do Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS), representado pelo Promotor André Luiz Tarouco Pinto, e os advogados Filpe Trelles e Tomás Gonzaga, que defendem a mãe, e Fernanda Ferreira e Helena Von Wurmb, que representam a companheira dela.

Ambas respondem pelos crimes de tortura, uma vez que, conforme a denúncia do MPRS, submetiam a criança a agressões físicas, privação de liberdade e intenso sofrimento emocional, homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, com emprego de meio cruel), que teriam planejado e executado, e pela ocultação do cadáver. A denúncia foi recebida pela Justiça em 17 de agosto.

No dia 8 deste mês foi realizada Reprodução Simulada dos Fatos pela Polícia Civil e Instituto-Geral de Perícias, visando esclarecer eventuais dúvidas sobre o caso.

> Receba todas as notícias do Portal Acontece no RS no seu WhatsApp. Clique aqui.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.