Terça, 04 de Agosto de 2020
51 98419-1295
Polícia Canoas / RS

Cerca de mil munições de calibre 40 são apreendidas em Canoas

Polícia Civil desferiu ação contra facção criminosa que em 2019 roubou carregamento de 130 mil cartuchos destinados aos órgãos da segurança pública.

25/07/2020 15h00
349
Por: Redação Acontece no RS Fonte: Correio do Povo
Cartuchos recolhidos na operação estavam ainda dentro das caixas | Foto: Polícia Civil / Divulgação / CP
Cartuchos recolhidos na operação estavam ainda dentro das caixas | Foto: Polícia Civil / Divulgação / CP

A Polícia Civil recuperou cerca de mil munições de pistola calibre 40 que seriam destinadas aos órgãos da segurança pública estadual. Os cartuchos faziam parte de um carregamento de 130 mil cartuchos da marca CBC, sendo que quase na totalidade de calibre 40, que havia sido roubado por uma facção criminosa na madrugada do dia 7 de março do ano passado na cidade de Portão. No início da madrugada deste sábado, a 3ª DP de Canoas concluiu a operação Retrieve, sob comando do delegado Rodrigo Caldas. Houve a captura de três criminosos em um local usado como paiol pela facção criminosa no bairro Guajuviras. A ação foi amparada por mandados judiciais.

Além das mil munições do lote roubado em Portão, os agentes apreenderam em torno de 100 de cartuchos de calibre 9 milímetros e outras 50 munições de calibre 7.62, utilizada em fuzis do tipo AK 47. Os policiais civis recolheram ainda uma pistola calibre 9 milímetros com cinco carregadores, uma réplica de fuzil calibre 5.56, uma máquina para contagem de dinheiro, cerca de 1,2 quilo de crack, em torno de um quilo de maconha e 1,5 mil pinos para embalar cocaína, além de dez munições de espingarda de calibre 12, um revólver 38 com cinco munições, quatro celulares e uma balança, bem como R$ 14.550 em dinheiro.

O titular da 3ª DP de Canoas, delegado Rodrigo Caldas destacou que “a operação teve especial relevância, pois a Polícia Civil logrou êxito em prender e localizar e apreender considerável quantidade de armas, munições e drogas". Ele garantiu que o trabalho investigativo terá prosseguimento. Já o diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (2ªDPRM), delegado Mário Souza, ressaltou que “foi uma atuação cirúrgica no combate à criminalidade na Região Metropolitana”. Ele observou que a facção criminosa, após o roubo em Portão, distribuiu as munições para as "células" em várias cidades.

Ataque

A carga de munições calibre 40, que seria entregues aos órgãos de segurança pública estadual como Brigada Militar e Polícia Civil, avaliada em cerca de R$ 1,3 milhão, estava em um caminhão baú Iveco Tector, com placas de São Paulo, no pátio de uma empresa na rua do Comércio, em Portão. Na madrugada do dia 7 março do ano passado, uma quadrilha invadiu o local e rendeu o motorista, de 35 anos, que seria libertado mais tarde na avenida César Antônio Bettanin, ao lado do Parque Estadual de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Já o veículo foi localizado vazio em uma área rural em Viamão.

Dez dias após o ataque, a Brigada Militar encontrou em torno de mil cartuchos do lote roubado em um veículo abordado na avenida Flores da Cunha, em Cachoeirinha. Três meses depois, em junho, o Departamento Estadual de Investigações Criminais da Polícia Civil apreenderia mais de 16,4 mil munições de calibres diversos, além de armamento, em uma residência situada no bairro Medianeira, em Porto Alegre. Entre o material estavam em torno de mil munições de calibre 40 que integravam o carregamento roubado em Portão.

Quer fazer parte do grupo do Portal Acontece no RS no WhatsApp? CLIQUE AQUI para entrar no grupo!

Assim você fica sempre atualizado com as últimas notícias de todo o Rio Grande do Sul.

 

 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.