Quarta, 27 de Janeiro de 2021
51 98419-1295
Internacional Indonésia

Tripulação do avião que caiu na Indonésia não enviou alerta

Gravação das conversas com o controle de tráfego aéreo aponta para trocas de rotina e nenhuma outra comunicação quando o Boeing caiu.

11/01/2021 14h48
203
Por: Redação Acontece no RS Fonte: AFP
Investigador do Comitê Nacional de Segurança nos Transportes relatou que conversa entre piloto e controle de tráfego aéreo
Investigador do Comitê Nacional de Segurança nos Transportes relatou que conversa entre piloto e controle de tráfego aéreo "foi normal e não tem nada de suspeito" | Foto: Adek Berry / AFP / CP

A tripulação do avião que caiu neste fim de semana na Indonésia com 62 pessoas a bordo não declarou emergência ou relatou problemas técnicos antes de se acidentar, informou nesta segunda-feira um investigador. Uma gravação das conversas com o controle de tráfego aéreo aponta para trocas de rotina e nenhuma outra comunicação quando o Boeing 737-500 da Sriwijaya Air caiu 10 mil pés (3 mil metros) para mergulhar no mar de Java.

"É uma conversa normal e não há nada suspeito", disse Nurcahyo Utomo, investigador do Comitê Nacional de Segurança nos Transportes. "Não se fala de uma emergência ou algo parecido", acrescentou ele sobre a gravação.

Dados preliminares sugerem que é "muito provável" que o avião estivesse intacto quando caiu na água no sábado, disse Utomo, que afirmou ainda não saber as causas do acidente. Mergulhadores indonésios exploravam nesta segunda o fundo do mar na costa de Jacarta em busca das caixas-pretas do Boeing, enquanto o trabalho em terra começou para identificar as vítimas.

Pelo menos 2,5 mil socorristas e soldados participam da operação de busca que possibilitou localizar o sinal das duas caixas-pretas. As equipes de resgate relataram na noite de domingo que recuperaram dez sacos contendo restos humanos, bem como 16 grandes partes da fuselagem e dez sacos de fragmentos a cerca de 23 metros de profundidade.

Imagens divulgadas pela Marinha mostram o fundo do mar coberto de destroços, mas as equipes devem agir rapidamente porque as correntes nesta área das "mil ilhas" ao largo de Jacarta podem arrastá-los para longe.

O avião transportava 62 indonésios, entre passageiros e tripulantes, incluindo 10 crianças. No comando estava Afwan, um ex-piloto da força aérea de 54 anos e pai de três filhos, de acordo com a mídia local.

No principal porto de Jacarta, os sacos com restos humanos foram borrifados com desinfetante e transferidos para um hospital da Polícia, onde os investigadores tentarão identificá-los usando amostras de DNA retiradas de parentes das vítimas. Rapin Akbar, que tinha cinco parentes a bordo, incluindo uma irmã, um sobrinho e sua esposa e seu bebê de sete meses, deu uma amostra de sangue em um hospital para os testes.

"[Meu sobrinho] planejava voltar para Pontianak no domingo, mas mudou de ideia e decidiu voar no sábado", disse Akbar. "Ela me ligou para dizer que o voo estava atrasado e me enviou uma foto de seu bebê", acrescentou.

Na noite desta segunda-feira, as autoridades identificaram o comissário de bordo Okky Bisma, de 29 anos, como a primeira vítima confirmada após comparar as impressões digitais de uma mão recuperada com as de um banco de dados do governo.

Último acidente

A investigação sobre o acidente, o último de uma série de desastres aéreos na Indonésia, pode levar meses. Especialistas em aviação apontaram que os dados de voo indicam que o avião desviou bruscamente de sua trajetória antes de despencar cerca de 10.000 pés (3.000 metros) em menos de um minuto e mergulhar no mar de Java.

Eles acreditam que o mau tempo (chuvas torrenciais atrasaram a decolagem), erros de pilotagem, ou um problema técnico podem ter causado a tragédia. Stephen Wright, professor de sistemas aeronáuticos da Universidade Finlandesa de Tampere, estima que a velocidade relativamente baixa do avião era um sinal de alerta. "Algo dramático aconteceu após a decolagem", disse ele.

A companhia aérea de baixo custo Sriwijaya Air, que assegura destinos na Indonésia e Sudeste Asiático, não forneceu informações sobre o que pode ter acontecido neste avião de 26 anos, anteriormente operado pela Continental Airlines e United Airlines nos Estados Unidos.

É o primeiro acidente fatal da Sriwijaya Air desde que a companhia foi lançada em 2003. Em outubro de 2018, 189 pessoas morreram quando um Boeing 737 MAX caiu no mar de Java, 12 minutos após a decolagem.

O avião da Sriwijaya não pertence à polêmica nova geração do Boeing 737 MAX, mas é um "clássico" Boeing 737. O setor de transporte aéreo na Indonésia lamentou várias tragédias nos últimos anos, e algumas companhias aéreas deste país foram proibidas de operar na Europa no passado.

Quer fazer parte do grupo do Portal Acontece no RS no WhatsApp? CLIQUE AQUI para entrar no grupo!

Assim você fica sempre atualizado com as últimas notícias de todo o Rio Grande do Sul.

 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.