Domingo, 01 de Agosto de 2021 08:33
51 98419-1295
Polícia Nova Prata / RS

Nove pessoas são indiciadas por espancamento que resultou em morte de homem em Nova Prata

Brutalidade do crime, registrado em 8 de novembro, chocou a cidade.

02/12/2020 16h09 Atualizada há 8 meses
637
Por: Redação Acontece no RS Fonte: Pioneiro - Grupo RBS
Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação
Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

A Polícia Civil indiciou nove pessoas pelo linchamento que resultou na morte de Arlindo Elias Pagnoncelli, o Zinho, 39 anos, em Nova Prata. Entre as acusações estão os crimes de homicídio, lesão corporal seguida de morte, omissão durante linchamento, corrupção de menores e falso testemunho. De acordo com o inquérito policial, essas pessoas teriam sido responsáveis pelo espancamento e morte de Zinho. 

A brutalidade do crime, registrado em 8 de novembro, quando ele foi espancado no Centro da cidade, chocou Nova Prata. Zinho morreu no último dia 18, após 10 dias  internado em um leito de UTI em Vacaria.

Ainda segundo a polícia, pelo menos 40 pessoas participaram das agressões, que continuaram mesmo quando a vítima já estava inconsciente. Entre os agressores há pelo menos sete adolescentes. A polícia também decretou cinco prisões preventivas e três pessoas estão presas. Ainda falta cumprir o mandado de prisão de outras duas pessoas envolvidas no crime.

A Polícia Civil também investiga a participação de um policial militar de Caxias do Sul no espancamento de Zinho. Ele seria a 10ª pessoa indiciada, mas como é brigadiano responderá à Justiça Militar. A delegada responsável pelo caso, Liliane Pasternak Kramm, explica que policiais militares só respondem na justiça comum por crimes de homicídio. Neste caso, o PM não é acusado de homicídio porque não esteve presente nas agressões mais graves, quando a vítima já estava inconsciente. O processo será enviado para a corregedoria da Brigada Militar, com sugestão de abertura de inquérito policial militar.

O crime 

O tumulto aconteceu na praça da avenida Fernando Luzatto, no centro da cidade, quase em frente à prefeitura, local que historicamente é conhecido como um ponto de encontro noturno e, consequentemente, palco de badernas, segundo a Brigada Militar (BM). O linchamento foi filmado por diversas testemunhas. As imagens mostram Pagnoncelli sendo agredido com socos e chutes por diversas pessoas. 

Mesmo caída e desacordada, a vítima continuou a ser espancada. O episódio que culminou na morte de Zinho provocou indignação e revolta nos moradores do município, com pouco mais de 25 mil habitantes. O caso chamou a atenção pela brutalidade e a quantidade de agressores envolvidos. Dezenas de pessoas testemunharam e até filmaram a confusão. As imagens mostram que poucos tentaram acalmar os ânimos. 

Pagnoncelli  era solteiro e trabalhava como lixador de mármore em uma mineradora havia 20 anos. Ele foi socorrido e encaminhado para um hospital de Vacaria, mas não resistiu aos ferimentos.

Quer fazer parte do grupo do Portal Acontece no RS no WhatsApp? CLIQUE AQUI para entrar no grupo!

Assim você fica sempre atualizado com as últimas notícias de todo o Rio Grande do Sul.

 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.