Quarta, 02 de Dezembro de 2020
51 98419-1295
Polícia Serra Gaúcha

Métodos utilizados por criminosos para eliminar os rivais apontam crueldade das facções na Serra

Nos últimos dias, foram registradas mortes com torturas, corpos esquartejados e carbonizados na região.

03/11/2020 09h56
533
Por: Redação Acontece no RS Fonte: Pioneiro - Grupo RBS
Casa na Linha Rio Burati serviu como cativeiro Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
Casa na Linha Rio Burati serviu como cativeiro Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

A região vivencia um período de extrema violência como poucas vezes se viu. Não satisfeitos com execuções cometidas com múltiplos disparos de arma de fogo, as organizações criminosas que atuam na Serra voltaram a utilizar métodos com requintes de crueldade para demonstrar poder em relação aos grupos rivais. Tortura, decapitação, esquartejamento e corpos carbonizados são exemplos da barbárie resultante do conflito entre as facções que atuam na região.

A última semana foi a mais violenta do ano em Caxias do Sul. Foram 14 mortes em oito dias - a mais recente foi registrada no domingo. Os casos não envolvem apenas grupos do tráfico de drogas. Teve o caso de avó e neto assassinados durante uma briga com vizinhos semana passada. 

No final de semana quatro pessoas morreram em confronto com a Brigada Militar em Farroupilha. Segundo a polícia, eles eram responsáveis por crimes chocantes praticados na região.

Investigações do setor de inteligência do Comando Regional da Brigada Militar apontaram uma pequena casa na Linha Rio Burati, no interior de Farroupilha, como local de cativeiro, tortura e mortes praticadas com extrema violência e divulgadas em imagens por meio de redes sociais. Foi nesse imóvel que policiais encontraram um grupo suspeito de praticar os assassinatos que horrorizaram os moradores da região nos últimos dias.

- Um vídeo começou a circular nas redes sociais do motoboy dizendo que iria vender a motocicleta para devolver o dinheiro que devia, desde que não fizessem mal para a família dele. Depois, apareceram fotos dele decapitado - informou o comandante do 4º Batalhão de Polícia de Choque, Diego Soccol.

A vítima era o motoboy Bruno da Costa, de 22 anos. Ele sumiu na quinta-feira da semana passada em Bento Gonçalves e o corpo foi localizado no dia seguinte, carbonizado, em Carlos Barbosa. Os vídeos ajudaram a polícia a encontrar o cativeiro.

- A inteligência do Comando Regional conseguiu levantar informações que nos direcionaram até aquela casa. Que teria um grupo criminoso naquele local, que poderia ser o responsável pelo esquartejamento desse motoboy e que estaria planejando cometer outros homicídios em Caxias, Farroupilha ou Bento. Nossos agentes monitoraram todo o dia o local e no final da tarde, início da noite, o Batalhão de Choque acabou aproximando e verificando a situação. Chegando nas imediações da residência (os policiais) foram recebidos a tiros, teve o confronto, culminando no óbito dos quatro indivíduos -relatou o comandante.

Uma mulher e três homens foram mortos na troca de tiros. Apenas um não foi identificado. Os outros três tinham antecedentes policiais. Na casa, a polícia apreendeu armas e uma caminhonete furtada. Também foram encontrados vários objetos que aparecem nas fotos e no vídeo. O grupo é investigado ainda por outro crime bárbaro. Um corpo esquartejado e abandonado dentro de uma mala, na última quarta-feira, perto do esconderijo e da RS-453, na mesma localidade de Farroupilha.

Brutalidade assusta moradores

A crueldade dos crimes recentes na Serra chocaram e assustam os moradores das proximidades de onde os casos ocorreram. Vizinha da casa em que moravam o casal e a criança mortos a tiros no Jardim Iracema, na semana passada, que preferiu não se identificar à reportagem, se disse abalada e afirmou que iria mudar de endereço.

- Eu não vou ficar mais aqui. Pode acontecer algo comigo e com a minha filha. Podemos morrer sem nem saber o que está acontecendo, com bala perdida, não quero nem pensar. Estou com muito medo - disse logo após o crime.

No começo de outubro, moradores do bairro Euzébio Beltrão de Queiróz viveram momentos de tensão. Assustados, afirmaram que o bairro vive, atualmente, mais uma disputa por pontos de tráfico entre grupos rivais. O temor e o medo aumentaram depois de uma dupla tentativa de homicídio e um assassinato na localidade. 

Um morador da Linha Burati falou à RBS TV Caxias que dava graças a Deus pela polícia ter encontrado o cativeiro, que era ele e a família quem estavam presos dentro de casa. Ele parabenizou a polícia e agradeceu muito. Disse ainda que nunca foram ameaçados, mas que são várias casas onde vivem famílias com crianças no entorno daquela que foi usada pelos suspeitos, que, então, o medo era grande e por isso, não denunciavam. 

A VIOLÊNCIA EM OUTUBRO EM CAXIAS

Dia 7 - André Moreira Sotel, 39 anos
O corpo dele foi achado no porta-malas de um carro incendiado em Santa Lúcia do Piaí, interior de Caxias do Sul. Um homem de 25 anos e um adolescente de 14 anos confessaram a morte. Eles alegam que foram agredidos pela vítima. 

Dia 7 - Nathan Castilhos Ribeiro, 20 anos
Baleado na cabeça, na Rua Décio Corte Ribeiro, no loteamento Campos da Serra, em Caxias. Testemunhas relataram que os atiradores estavam em um carro preto. 

Dia 8 - Juliano Ribeiro, 29 anos
Estava na frente de casa, na Rua José Gollo, no bairro Euzébio Beltrão de Queiróz, em Caxias, quando foi baleado por dois jovens, que fugiram em um carro prata. 

Dia 14 - Elton John Bolico de Lima, 15 anos, Edevaldo Ferraz Bueno, 36, Nathaniel Gheber da Silva, 22, Claiton Oliveira Monteiro, 26, Patrick Adrian da Costa Silva, 23, Sergio Mendes de Oliveira Junior, 35
Após ataque a um ponto de tráfico no bairro Pioneiro, em Caxias, a Brigada Militar perseguiu os suspeitos até a RS-122 (Rota do Sol) onde houve troca de tiros. Os seis morreram no confronto. 

Dia 16 - Josemar Bender, 42 anos
Criminosos invadiram uma casa na Rua dos Relojoeiros, bairro Belo Horizonte, em Caxias, atiraram contra o homem, que tentou fugir, mas caiu no pátio da moradia. 

Dia 20 - Cleiton Vieira Natividade, 35 anos
Estava na praça na Rua Irmã Geni, no bairro Esplanada, em Caxias, com outras pessoas na quando dois homens se aproximaram em uma moto e atiraram. Ele tentou correr, mas morreu no local. 

Dia 25 - Iran Borges Orsi, 52 anos
Atiradores chegaram em um Onix e um Prisma e desembarcaram atirando contra uma casa no bairro Cruzeiro, em Caxias. Orsi morreu e o sobrinho dele, Marcio Luís Machado, foi baleado. 

Dia 25 - Michael da Fonseca Pinto, 22 anos
Dois homens em uma motocicleta chamaram Michael em frente a uma casa na Rua Asulvino Amélio Balbinot, bairro Colina do Sol, em Caxias, e atiraram várias vezes.

Dia 26 - Marcio Luís Machado, 42 anos
Ele foi ferido quando estava em uma casa no bairro Cruzeiro, em Caxias, no dia 25, por atiradores que chegaram em um Onix e um Prisma e desembarcaram atirando contra a moradia.

Dia 26 - Edson Toffolo, 37 anos, Vanessa Martins dos Santos, 29, Enzo dos Santos de Oliveira, 4
Mortos a tiros dentro de casa na Rua Fábio Formollo, no Jardim Iracema, em Caxias. Vanessa estava grávida de seis meses e Enzo era o filho dela, de quatro anos. 

Dia 26 - Ryan Carvalho Tasso, 19 anos
De acordo com a ocorrência policial, testemunhas ouviram tiros no Travessão Leopoldina, no bairro Serrano, em Caxias, e chamaram a BM. Os policiais encontraram Tasso no local. 

Dia 28 - Argentilia Lourdes dos Santos, 73 anos, Bruno Santos Provensi, 18
Avó e neto foram mortos a tiros, facadas e pauladas na Travessão Pedro Américo, no loteamento Parque dos Pinhais, em Caxias. A motivação do crime seria uma briga antiga entre vizinhos.

Dia 28 - Jonathan Silva, 27 anos
Era um motorista de aplicativo e foi atingido por pelo menos 12 tiros dentro do carro que conduzia na Rua Sargento Venino Vargas, no bairro Esplanada, em Caxias.

Dia 30 - Lindomar José de Freitas, 23 anos
Foi morto com três tiros no rosto dentro de um apartamento, no loteamento Campos da Serra, em Caxias. No mesmo fato, um rapaz de 20 anos ficou ferido, baleado no abdômen, mas conseguiu fugir. Mais tarde, foi socorrido e encaminhado para atendimento hospitalar.

Dia 31 - Cristiano Gervasio, 43 anos e Rodrigo Damaceno, 37
Três homens teriam efetuado os disparos que mataram a dupla, na Rua Albano Caberlon, no bairro Montes Claros, em Caxias. 

NA REGIÃO

  1. Dia 27 - Lauri Thomazetti, 52 anos
    Morto a tiros nos fundos da casa dele no bairro São José, em Vacaria. O autor é um homem de 47 anos que foi casado por sete anos com a atual companheira da vítima.

Dia 27 - João Carraro, 63 anos
Carraro desembarcou de um Palio vermelho próximo ao portão de uma propriedade, na localidade de Lagoa Bela, interior de Flores da Cunha, quando foi atingido por cinco tiros na cabeça, abdômen e braço. O suspeito do crime foi preso.

Dia 28 - Não identificado
Um corpo esquartejado foi localizado dentro de uma mala abandonada em meio a um matagal quase às margens da RS-453, perto da ponte sobre o Rio Burati, em Farroupilha. As partes do corpo estavam embaladas em sacos plásticos pretos. A cabeça não foi localizada. Por meio da identificação de tatuagens, pode se tratar de foragido do sistema penitenciário.

Dia 30- Bruno da Costa, de 22 anos
Um corpo foi encontrado decapitado e carbonizado dentro de um carro incendiado no interior de Carlos Barbosa. A cabeça e dois dedos foi localizada dentro de uma sacola plástica, em frente a um campinho de futebol, no bairro Santa Fé, em Caxias. Ele era de Bento Gonçalves.

Dia 31 - Aline Pinheiro Nunes, 23 anos, Mateus Gonçalves, 24, Gian Micael Armonico de Oliveira, 19, e um homem ainda não identificado
Os quatro foram mortos em confronto com a Brigada Militar, em uma casa na Linha Rio Burati, área rural de Farroupilha. A mulher era de Bento Gonçalves, Gonçalves de Carlos Barbosa, Oliveira de Novo Hamburgo,  e um terceiro homem ainda não identificado.

Quer fazer parte do grupo do Portal Acontece no RS no WhatsApp? CLIQUE AQUI para entrar no grupo!

Assim você fica sempre atualizado com as últimas notícias de todo o Rio Grande do Sul.

 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.