Segunda, 19 de Outubro de 2020
51 98419-1295
Geral Santa Cruz do Sul

De Santa Cruz a Tabaí, a RSC-287 coleciona problemas

Blitz Gazeta encontrou uma série de falhas nos 72 quilômetros entre o viaduto Fritz e Frida e local de início da concessão da EGR.

01/10/2020 10h53
202
Por: Redação Acontece no RS Fonte: Portal Gaz
Blitz Gazeta encontrou buracos e desníveis, tanto na faixa de trânsito quanto no acostamento, ao longo do trecho da RSC-287 entre Santa Cruz do Sul e Tabaí
Blitz Gazeta encontrou buracos e desníveis, tanto na faixa de trânsito quanto no acostamento, ao longo do trecho da RSC-287 entre Santa Cruz do Sul e Tabaí

A principal ligação do Vale do Rio Pardo com a Região Metropolitana apresenta vários trechos com problemas. Nos 72 quilômetros da RSC-287 situados entre o início da concessão, em Tabaí, até o viaduto Fritz e Frida, em Santa Cruz, a rodovia coleciona falhas estruturais, tanto na pista quanto no acostamento.

Saindo de Santa Cruz do Sul em direção a Tabaí, o primeiro trecho com problemas aparece logo após o pedágio de Venâncio Aires, apenas 17 quilômetros após o ponto de partida. O trajeto entre os quilômetros 83 e 82, na direção de Venâncio Aires, tem falhas entre o acostamento e a terceira faixa.

Ondulações que ameaçam a segurança dos motoristas aparecem em vários trechos

Menos de dez quilômetros à frente, no quilômetro 77, a sinalização está em péssimas condições, assim como o acostamento da rodovia. Acima, no acesso ao campus da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) de Venâncio, entre os quilômetros 72 e 71, a pista apresenta ondulações e o acostamento está praticamente destruído.

A partir do quilômetro 65, no interior de Venâncio Aires, as falhas na pista recomeçam nos dois sentidos. Poucos quilômetros à frente, já no município de Bom Retiro do Sul, além de ondulações no asfalto, também segue danificada a proteção da ponte sobre o Rio Taquari, derrubada por um caminhão no mês passado. O acidente aconteceu em 8 de setembro e o local está sem sinalização para alertar os motoristas sobre o perigo.

No acostamento, buracos e desníveis são constantes entre Santa Cruz do Sul e Tabaí

Já próximo ao acesso de Taquari, entre os quilômetros 43 e 44, a pista apresenta ondulações nas duas faixas. Em alguns trechos, fica difícil sair do acostamento para ingressar na rodovia, por causa do desnível da estrada. Dez quilômetros à frente, já no município de Tabaí, as ondulações no asfalto voltam a aparecer. O trecho final da área concedida à Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) fica no quilômetro 28. Nos dois últimos quilômetros, apenas as áreas de acostamento estão danificadas.

A Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), atual concessionária dos 204,5 quilômetros da RSC-287, afirma que investe aproximadamente R$ 12 milhões anuais, considerando material e mão de obra, além de R$ 3,5 milhões para serviços de conservação rodoviária, limpeza e roçadas.

A empresa informou à Gazeta do Sul que executou obras de restauração do quilômetro 37 ao 67 e do quilômetro 87 ao 99. Também houve tratamento na camada asfáltica do 28 ao 37. O tratamento dos trechos, com reparos na estrutura e recomposição da camada asfáltica, chega a 54%.

Ainda com relação à manutenção, a EGR destaca que deu início a um trabalho de recomposição da camada asfáltica no trecho de Venâncio Aires. Encontra-se ainda em fase final o projeto de recomposição de todo o trecho Tabaí -Venâncio Aires. De acordo com a empresa, essa obra está orçada em R$ 29 milhões.

Os balancetes divulgados pela EGR, tendo como referência junho – último mês disponível para consulta –, mostram que a RSC287 gerou naquele mês um resultado positivo de R$ 447.455,00. O valor é a diferença entre o total arrecadado nas duas praças, menos as despesas de operação e manutenção da rodovia.

A praça de Venâncio responde pelo maior faturamento, com a média mensal de R$ 2,4 milhões. Em Candelária, o total arrecadado foi de R$ 1,6 milhão no período.

Concessão prevê obras logo após o contrato

O recém-lançado edital para a concessão da RSC-287 prevê que, assim que for assinado o contrato para gestão da rodovia, terão início as obras de recuperação da estrada. O primeiro ano de contrato, inclusive, é dedicado para a recapagem geral dos 204,5 quilômetros entre Tabaí e Santa Maria.

A partir do segundo ano de contrato começa a instalação das praças de pedágio. Serão mais três, uma em Taquari e outras em Cerro Branco e Santa Maria. A partir do terceiro até o 11º ano de concessão ocorrerá a duplicação da rodovia, cláusula decisiva para a realização do leilão.

Com a publicação do edital, no último dia 22, o Estado programa para dezembro o leilão da 287. O pregão será realizado na Bolsa de Valores de São Paulo, e estão de olho três grandes grupos empresariais que operam em rodovias nacionais.

Vence o edital a empresa que ofertar o menor valor de tarifa de pedágio, com o teto de R$ 7,37. O contrato para exploração da 287 será válido por 30 anos e prevê um investimento de R$ 2,7 bilhões na manutenção e duplicação dos 204,5 quilômetros de rodovia.

Concertos pioram o acostamento

Há 32 anos, Valdemar Marques Saldanha tem uma borracharia às margens da RSC-287, no município de Taquari. Segundo ele, nessas três décadas, o pior período, no que se refere à manutenção da rodovia, são os últimos anos. “Não faz muito tempo que todo este trecho aqui foi recapado. Fizeram o asfalto sem melhorar as condições do acostamento”, explicou. Segundo ele, após a última manutenção feita no trecho, o acostamento ficou pior do que estava antes.

Saldanha conta que, diariamente, atende de três a quatro pedidos de socorro de caminhoneiros com pneus estourados na 287. “O asfalto não é só a pista pela qual passam os veículos, a qualidade do acostamento é muito importante para a qualidade do tráfego.”

O borracheiro afirma que, pelo volume de trânsito que a RSC-287 tem, a qualidade do asfalto devia ser muito melhor. “O movimento de caminhões é muito grande aqui, na direção de Porto Alegre. Teríamos que ter uma estrada em condições, e duplicada”, frisou Saldanha.

Quer fazer parte do grupo do Portal Acontece no RS no WhatsApp? CLIQUE AQUI para entrar no grupo!

Assim você fica sempre atualizado com as últimas notícias de todo o Rio Grande do Sul.

 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.