Segunda, 28 de Setembro de 2020
51 98419-1295
Saúde Coronavírus

Vacina ainda é possível este ano apesar da interrupção dos testes, afirma AstraZeneca

Pascal Soriot explicou que tudo depende da rapidez com a qual as agências reguladoras autorizarão a retomada dos testes.

10/09/2020 10h38
180
Por: Redação Acontece no RS Fonte: Correio do Povo e AFP
Vacina ainda é possível este ano apesar da interrupção dos testes, afirma AstraZeneca | Foto: John Cairns / Universidade de Oxford / Divulgação / CP
Vacina ainda é possível este ano apesar da interrupção dos testes, afirma AstraZeneca | Foto: John Cairns / Universidade de Oxford / Divulgação / CP

O grupo farmacêutico britânico AstraZeneca afirmou nesta quinta-feira que a vacina contra a Covid-19 que está sendo desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford ainda pode estar disponível até o fim do ano, apesar da interrupção dos testes clínicos. "Nós ainda poderíamos ter uma vacina até o fim deste ano, no início do próximo", afirmou o principal executivo da empresa, Pascal Soriot, em um evento organizado pelo grupo de mídia Tortoise.

Soriot garantiu que os processos de interrupção é natural e faz parte da ciência. “É muito comum, na verdade, e muitos especialistas dirão isso. A diferença com outros testes de vacinas é que o mundo inteiro não os está observando, é claro. Eles param, estudam e recomeçam”, disse.

Soriot explicou que tudo depende da rapidez com a qual as agências reguladoras autorizarão a retomada dos testes. Apesar disso, Soriot não soube dizer quando o teste seria retomado. De acordo com o jornal Financial Times, citando pessoas associadas à pesquisa, a farmacêutica britânica pode retomar os ensaios na próxima semana.

Testes suspensos

A participante que desencadeou a paralisação global dos testes da fase 3 foi uma mulher, no Reino Unido. Ela apresentou sintomas neurológicos consistentes com uma doença inflamatória espinhal rara, mas grave, chamada mielite transversa, disse Soriot. O conselho encarregado de supervisionar os dados e componentes de segurança dos testes confirmou que o participante foi injetado com a vacina Covid-19 da empresa e não um placebo.

No entanto, o CEO da AstraZeneca, disse aos investidores em uma teleconferência na quarta-feira que não houve diagnóstico final do caso e que não haveria até que mais testes fossem feitos, de acordo com a porta-voz da empresa Michele Meixell. “Esses testes serão entregues a um comitê de segurança independente que analisará o evento e estabelecerá um diagnóstico final”, disse em um comunicado.

Quer fazer parte do grupo do Portal Acontece no RS no WhatsApp? CLIQUE AQUI para entrar no grupo!

Assim você fica sempre atualizado com as últimas notícias de todo o Rio Grande do Sul.

 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.