Domingo, 01 de Agosto de 2021 08:10
51 98419-1295
Cidades Ibirubá / RS

Seguem os mistérios dos Túneis de Ibirubá

‘‘O tempo é o senhor da razão’’, portanto certamente tem muita coisa ainda para ser revelada ao povo, que quer e tem o direito de saber, dessa forma reescrevendo a nossa história e, principalmente, brindando o nosso município com o projeto turístico dos túneis.

24/08/2020 20h15 Atualizada há 11 meses
1.500
Por: Redação Acontece no RS Fonte: Rádio Cidade Ibirubá
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Na tarde do dia 12/08, o jornalista Clóvis Messerschmidt, diretor da Revista Enfoque e autor da reportagem investigativa dos túneis secretos de Ibirubá, fez um contraponto na Rádio Cidade FM 104.9, referente ao trabalho realizado pelos paranormais Rosa Jaques e João Tocchetto, do Caça-Fantasmas Brasil.

Durante a entrevista o jornalista Clóvis contestou as declarações da vidente Rosa, apresentando provas, segundo ele concretas que vem acumulando ao longo de cinco anos da sua vida dedicados a essa pesquisa histórica. Além disso, o jornalista discorda da forma que os paranormais conduziram os trabalhos, pois segundo Clóvis os YouTubers deram confiança aos primeiros espíritos que teriam se manifestado (que poderiam ser zombeteiros por não terem se identificado) e receberam constantemente interferências de terceiros.

Com relação à ossada humana que se encontra no túmulo do Dr. Frederico Ernesto Braun, que conforme laudo policial é de um homem afrodescendente, Rosa afirmou que seria de um andarilho, o que é contraditório, pois na última violação, muitas pessoas puderam ver que o falecido usava prótese e tinha alguns dentes de ouro. Como um andarilho teria condições financeiras para tal num passado distante? Vale lembrar também que estava faltando a tíbia esquerda, supostamente a que teria sido retirada pelos infratores na violação anterior, que acabou sendo entregue à Polícia Civil.

Quanto à lápide do militar nazista Adolf Erich Herman Krapf, tem possibilidade de ter sido mesmo uma homenagem da sua mãe Elizabeth (ex-dona do antigo Hospital Santa Helena), em razão dele ter morrido na Rússia, durante a Segunda Guerra Mundial. O povo cogita talvez se tratar de uma morte forjada, para ele fugir dos caçadores de nazistas, tese que exigiria uma criteriosa investigação.

A respeito da chaminé do frigorífico, ela não foi erguida por mão de obra da Alemanha, como Rosa falou, mas sim local, coordenada pelo saudoso construtor Sr. Reinholdo Schüssler, nos anos 40, que tinha como um de seus empregados o Sr. Eduardo Horst (in memoriam), conforme entrevista realizada com o seu filho Hervino, que acompanhou os trabalhos.

O verdadeiro construtor da antiga chaminé do Frigorífico da Ibi

Sobre os dentes humanos encontrados nas cinzas de um dos fornos da caldeira do antigo frigorífico Ibi, a vidente destaca que se comunicou com o espírito de um dentista que atuou no município, que ele teria esclarecido que naquele local acontecia descarte de material odontológico. Com certeza, muita gente quer acreditar nessa tese, mas infelizmente testemunhas discordam e argumentam.

Enquanto isso, aguarda-se o laudo dos dentes, que está sendo realizado pelo Instituto Geral de Perícias, em Porto Alegre, para assim dar seguimento à investigação.

No final dos anos 50, a Sra. Leonilda Brunheri presenciou cenas que condizem com castigos ou torturas de algumas pessoas que trabalhavam nos túneis. Já o Sr. Wilson Hüther, garante que nunca viu ou soube que algum dentista descartasse material odontológico naquele lugar, onde ele trabalhou por quase três décadas (1983 a 2011). Ele recorda que apenas o Banco do Brasil era autorizado a incinerar papéis lá. Alguns dentistas locais explicam que antigamente era mais fácil fazer um buraco no fundo do terreno do consultório, do que estar indo descartar o material em empresas privadas.

Sobre a existência de uma rede de túneis, Rosa fala que não existe, que são ligações entre algumas casas, o que contraria dezenas de relatos de testemunhas oculares, inclusive de pessoas que ajudaram a escavar essas estruturas subterrâneas em diferentes lugares, nos quais os geólogos encontraram os indícios através de georadares, sendo que logo serão perfurados.

Por fim, a paranormal disse que Ibirubá não teria sido passagem e refúgio de militares nazistas de alto escalão, porém se equivocou gravemente, pois existe vasta documentação do DOPS (Departamento de Ordem Política e Social, órgão do governo brasileiro, criado em 1924, que atuou no Estado Novo e Ditadura Militar) que comprova que aqui existia uma sociedade secreta nazista, que dava guarida a eles, propagava o germanismo, entre outras ações ocultas do Partido Nazista. Nunca foi o intuito da imprensa ofender a memória das pessoas, portanto vamos nos resguardar de citar os nomes dos envolvidos, pois alguns deles foram protagonistas do desenvolvimento do nosso município.

Além disso, a imprensa nacional e internacional publicou reportagens revelando que Martin Bormann (oficial da Schutzstaffel - SS) usou um nome falso (Hans Sonnenburg) e se submeteu a duas cirurgias (estômago e plástica facial), realizadas no antigo Hospital Santa Helena, conforme declarações oficiais do maior caçador de nazistas Sr. Simon Wiesenthal. Clóvis também está investigando a passagem de Josef Mengele (médico e oficial da Schutzstaffel - SS) por Ibirubá, que de acordo com informações preliminares, teria ficado mais tempo por aqui.

Como diz o ditado popular: ‘‘O tempo é o senhor da razão’’, portanto certamente tem muita coisa ainda para ser revelada ao povo, que quer e tem o direito de saber, dessa forma reescrevendo a nossa história e, principalmente, brindando o nosso município com o projeto turístico dos túneis.

* Da redação Integrada Rádio Cidade 104.9 e Jornal O Alto Jacuí

Quer fazer parte do grupo do Portal Acontece no RS no WhatsApp? CLIQUE AQUI para entrar no grupo!

Assim você fica sempre atualizado com as últimas notícias de todo o Rio Grande do Sul.

 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.