Sábado, 04 de Julho de 2020
51 98419-1295
Polícia Susepe

Susepe transfere presos das delegacias da Região Metropolitana e Vale do Rio dos Sinos

Operação acontece um dia após denúncia da Ugeirm Sindicato sobre a superlotação nas DPPAs.

24/06/2020 12h11
184
Por: Redação Acontece no RS Fonte: Correio do Povo
Com fortemente esquema de segurança, a ação ocorre em São Leopoldo, Novo Hamburgo e Canoas | Foto: Susepe / Divulgação / CP
Com fortemente esquema de segurança, a ação ocorre em São Leopoldo, Novo Hamburgo e Canoas | Foto: Susepe / Divulgação / CP

A Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) deflagrou na manhã desta quarta-feira operação de transferência para o sistema carcerário de presos mantidos as delegacias da Região Metropolitana de Porto Alegre e do Vale do Rio dos Sinos. A ação, com participação do efetivo fortemente armado do Grupo de Intervenção Rápida (GIR) da Susepe e de agentes penais, começou pela DPPA de São Leopoldo. O trabalho prossegue na DPPA de Novo Hamburgo e na DPPA de Canoas.

A transferência ocorre um dia depois da Ugeirm Sindicato, representante doos policiais civis, ter denunciado a superlotação nas delegacias. Um levantamento apontou, na terça-feira, 103 presos e, no início da manhã desta quarta, 128. Conforme a entidade, a DPPA de São Leopoldo amanheceu com 20 presos, a DPPA de Novo Hamburgo com 20 e a DPPA de Canoas com 42.

Já na DPPA de Viamão estavam 12 detidos e a 2ª DPPA de Porto Alegre com sete nas primeiras horas da manhã. “É a receita perfeita para uma verdadeira tragédia entre os (as) policiais civis gaúchos (as)”, alertou em nota oficial, acrescentando que a situação é agravada com “os surtos de coronavírus que pipocam nas delegacias”.

A direção da Ugeirm Sindicato lembrou que, no começo da pandemia do novo coronavírus, conseguiu a retirada de todos os presos das delegacias em um prazo de 72 horas por meio do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. “Em um primeiro momento, o governo cumpriu a determinação judicial. Em sua decisão, o TJ/RS qualificava a situação como um crime contra a humanidade”, observou a entidade.

“Infelizmente, o que parecia uma vitória, em pouco tempo se tornou apenas mais uma decisão judicial descumprida pelos sucessivos governos gaúchos. Porém, o mais grave é que essa derrota não é apenas um revés para os (as) policiais civis, mas se trata de um ataque à população gaúcha como um todo”, advertiu. “Manter mais de 100 pessoas em locais sem a mínima condição de qualquer isolamento social, é um verdadeiro passe livre para uma explosão de casos e mortes pela Covid-19”, avaliou na nota oficial.

Quer fazer parte do grupo do Portal Acontece no RS no WhatsApp? CLIQUE AQUI para entrar no grupo!

Assim você fica sempre atualizado com as últimas notícias de todo o Rio Grande do Sul.

 

 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.