Terça, 30 de Novembro de 2021
Meio Ambiente Rio Grande do Sul

Governo divulga novo boletim sobre situação da estiagem no Rio Grande do Sul

É esperada a ocorrência de chuvas nos próximos meses no Rio Grande do Sul, mas em volumes insuficientes para haver recarga hídrica.

26/07/2021 às 17h00
Por: Redação Acontece no RS Fonte: Secom Rio Grande do Sul
Compartilhe:
Estado enfrenta um evento crítico de estiagem desde novembro de 2019 - Foto: Divulgação Sema
Estado enfrenta um evento crítico de estiagem desde novembro de 2019 - Foto: Divulgação Sema

É esperada a ocorrência de chuvas nos próximos meses no Rio Grande do Sul, mas em volumes insuficientes para haver recarga hídrica. A projeção consta da nova versão do Boletim Especial sobre Estiagem no Rio Grande do Sul, divulgado pela equipe da Sala de Situação da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema). O material avalia os efeitos da estiagem de novembro de 2019 a julho de 2021, principalmente quanto às chuvas e disponibilidade hídrica.

Conforme o relatório, o Estado enfrenta um evento crítico de estiagem desde novembro de 2019, o que ocasionou impactos em diversas áreas e o decreto de situação de emergência em 415 municípios do Rio Grande do Sul, de acordo com a Defesa Civil Estadual.

Em abril de 2020, a equipe já havia publicado um documento sinalizando as consequências da estiagem nos rios gaúchos, comparando o evento com anos anteriores e apresentando um prognóstico climático para os meses seguintes.

A meteorologista Cátia Valente avalia que, de acordo com os estudos, as condições futuras não se mostram favoráveis. “O cenário não tende a se tornar positivo quanto à recuperação do déficit hídrico no Rio Grande do Sul. Por isso, a Sala de Situação seguirá monitorando as condições climáticas no Estado”, afirma.

O prognóstico climático atual sugere, novamente, que não haverá uma recarga hídrica das bacias devido à falta de chuva. E, em função do calendário de plantio, sobretudo arroz e soja, há risco substancial de comprometimento da disponibilidade hídrica nas bacias gaúchas, demandando ações de gestão e regulação de recursos, principalmente nas bacias com conflito de uso da água.

Relatório atual.
Relatório anterior.

Texto: Priscila Valério/Ascom Sema
Edição: Secom

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.