Terça, 30 de Novembro de 2021
Meio Ambiente Rio Grande do Sul

Projeto que permite concessão de parques estaduais é aprovado em 1º turno na Assembleia Legislativa

A Assembleia aprovou em primeiro turno, nesta terça-feira (6/7), por 49 votos favoráveis e um contrário, a PEC 284/2019, que modifica o artigo 259 da Constituição que proibia a concessão ou a cedência das Unidades Estaduais de Conservação.

06/07/2021 às 18h10
Por: Redação Acontece no RS Fonte: Secom Rio Grande do Sul
Compartilhe:
PEC 284/2019 foi aprovada em primeiro turno por 49 votos favoráveis e um contrário - Foto: Joel Vargas/ALRS
PEC 284/2019 foi aprovada em primeiro turno por 49 votos favoráveis e um contrário - Foto: Joel Vargas/ALRS

A Assembleia Legislativa aprovou em primeiro turno, nesta terça-feira (6/7), por 49 votos favoráveis e um contrário, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 284/2019, que modifica o artigo 259 da Constituição Estadual que proibia a concessão ou a cedência das Unidades Estaduais de Conservação. O texto contou com uma emenda do líder do governo, Frederico Antunes.

Se o projeto for aprovado em segundo turno, será possível avançar na realização da modelagem, consulta pública e lançamento dos editais de cinco parques estaduais: Delta do Jacuí, Tainhas, Turvo, Jardim Botânico e Caracol.

O secretário do Meio Ambiente e Infraestrutura, Luiz Henrique Viana, comemorou a votação e está otimista na aprovação em segundo turno. Para ele, será uma oportunidade de qualificar a infraestrutura dos parques e gerar mais investimentos para o Estado. “Com o apoio da iniciativa privada, o Rio Grande do Sul crescerá no setor turístico sustentável, gerando emprego e renda e melhorando a experiência dos visitantes nos parques”, avaliou.

Os estudos de viabilidade são realizados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), sob a coordenação da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) e da Secretaria Extraordinária de Parcerias (Separ).

"A aprovação permitirá a atração de investimento privado para qualificar a infraestrutura e os serviços disponibilizados aos visitantes, como estacionamento, bilheteria, gastronomia, hotelaria, transporte e trilhas, entre outros, respeitando sempre os planos de manejo. Por outro lado, o Estado continuará responsável pela fiscalização ambiental e preservação das Unidades de Conservação", ressaltou o titular adjunto da Separ, Marcelo Spilki.

O secretário adjunto do Meio Ambiente e Infraestrutura, Guilherme de Souza, acrescentou que, “com o apoio de investidores que assumirão a manutenção da infraestrutura e gestão de cada parque quanto à visitação pública, pretende-se criar condições para prover mais recursos para fortalecer a proteção ambiental e para estimular a consciência em prol da sustentabilidade ambiental”.

Estudos de viabilidade

O governo do Estado contratou, em dezembro de 2020, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a execução dos trabalhos relacionados à concessão de serviços públicos ou de uso público em parques estaduais. O projeto está inserido em um programa nacional voltado à promoção do ecoturismo em parques naturais em diferentes estados.

No Rio Grande do Sul, a etapa de diagnóstico de cada parque incluído no projeto envolve planejamento geral, avaliação comercial, estudo de demanda, diagnóstico socioambiental e estudo preliminar de engenharia, arquitetura e transporte. Essa pesquisa servirá como ponto de partida para efetuar a modelagem, com estruturação do plano de negócios, etapa em que o projeto se encontra.

Com a aprovação da PEC 284/2019 em primeiro e segundo turnos, será possível avançar na consolidação das minutas e interação com o mercado, para posteriormente realizar o leilão que selecionará parceiros privados para melhorar a gestão dos parques quanto ao desenvolvimento socioeconômico e a proteção dos ambientes naturais.

Artigo 259 da Constituição Estadual

• Como era a redação
As unidades estaduais públicas de conservação são consideradas patrimônio público inalienável, sendo proibida ainda sua concessão ou cedência, bem como qualquer atividade ou empreendimento público ou privado que danifique ou altere as características naturais.

• Como fica com a aprovação da PEC
As unidades estaduais públicas de conservação são consideradas patrimônio público inalienável, permitidas concessões para iniciativa privada, atividades ou empreendimentos públicos ou privados, cuja gestão deverá observar o princípio da sustentabilidade e respeitar seus planos de manejo.


Localização dos parques

• Parque Estadual do Tainhas
Localização:Campos de Cima da Serra
Abriga campos, banhados e mata de araucária.

• Parque Estadual Delta do Jacuí
Localização:região metropolitana de Porto Alegre
Formado por 30 ilhas e porções continentais, tem ecossistema característico de banhados, matas e campos inundáveis.

• Parque Estadual do Turvo
Localização:região Noroeste
O Salto do Yucumã tem uma das maiores quedas d’água longitudinais do mundo (1.800 metros de extensão e 12 metros de altura).

• Jardim Botânico
Localização:Porto Alegre
Classificado como Categoria A, está entre os quatro maiores jardins brasileiros, atingindo grau de excelência em todos os critérios da Comissão Nacional de Jardins Botânicos.

• Parque do Caracol
Localização:Serra
A cachoeira do Caracol tem uma queda livre de 131 metros. O parque recebe aproximadamente 350 mil visitantes por ano.

Para saber mais sobre as Unidades de Conservação da Sema, clique aqui.

Texto: Priscila Valério
Edição: Secom

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.