Governo do Estado

Governo do RS define estratégia para suportar pressão contra restrições

Famurs alerta Executivo e demais poderes sobre iminência de rompimento da quarentena.

26/03/2020 18h27
Por: Redação Acontece no RS
Fonte: Correio do Povo
270
Transmissão ao vivo do governador nas redes sobre as medidas relativas a pandemia do Covid-19 | Foto: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini
Transmissão ao vivo do governador nas redes sobre as medidas relativas a pandemia do Covid-19 | Foto: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini

Eleito com apoio das entidades empresariais do Estado e alinhado ao pensamento liberal, o governador Eduardo Leite (PSDB) vê crescer a partir do setor empresarial um desafio extra no combate ao avanço do coronavírus: a pressão pelo relaxamento das restrições do convívio social. Na manhã desta quinta-feira, a Farsul, a Fiergs e a Federasul lançaram um manifesto intitulado ‘Pela Reativação da Economia Gaúcha’. Leite respondeu poucas horas depois, para o conjunto da população, na live que passou a fazer diariamente às 14h, na página do Facebook do governo do Estado, para tratar da pandemia. “A orientação continua a mesma: fiquem em casa”, assinalou.

No final da tarde desta quinta, Leite realiza teleconferência com o presidente da Famurs e prefeito de Palmeira das Missões, Dudu Freire, para tratar da estratégia para conter a pressão. A Famurs propõe a edição de um novo decreto, que uniformize as regras de restrição para todos os municípios do Estado, mas é preciso conferir a viabilidade jurídica da medida. O decreto estadual, por exemplo, não traz restrições à indústria e a construção civil, mas alguns municipais sim.

No manifesto da manhã, as três federações propõem que empresas retomem 50% de suas atividades a partir de 1º de abril e passem a operar com 100% a partir do dia 6 de abril “atendendo a recomendações de saúde”. “Não temos ainda a estrutura suficiente para nos permitirmos um pico, de a doença chegar antes. E então poderemos perder vidas que poderiam ter sido salvas por causa do atendimento”, rebateu Leite, para em seguida garantir que as medidas de restrição à circulação e ao convívio social seguem em vigor pelo menos até o final da próxima semana.

Nos bastidores políticos, a possibilidade de que a população comece a ‘furar’ as restrições as quais aderiu na semana passada preocupa muito o governo. Mais ainda, porque as dissidências começam a acontecer no estágio que, apesar da confusão feita por muitos, é mais brando que o do confinamento. O RS não está em “lockdown”. Com a ajuda de aliados, lideranças políticas de diferentes partidos e de outros poderes, o Executivo se movimenta para convencer a população do impacto negativo que ceder à pressão neste momento causaria.

O alarme sobre a possibilidade de um rompimento na quarentena foi disparado pela Famurs ainda na quarta-feira, antes do manifesto das entidades e após o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Após ser contatado por prefeitos ansiosos, que muitas vezes carecem nas estruturas municipais de assessorias técnicas fortes, e que não raro mantêm laços estreitos com setores produtivos e empresariais, Freire repassou as informações que lhe chegaram não apenas ao Executivo, mas também a Assembleia Legislativa, ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), ao Ministério Público, a Defensoria Pública e ao Conselho das Secretarias Municipais da Saúde (Cosemes).

“Nas cidades, há muita pressão de entidades e de alguns setores. Boa parte da população e de representantes de entidades acha que o Rio Grande, em quatro dias de isolamento social, já venceu uma pandemia que apavora o mundo e está fechando Nova Iorque. A maioria simplesmente não tem ideia do que é estar na ponta”, desabafa Freire.

Da teleconferência nesta tarde participam o governador, os secretários da Saúde e da Articulação e Apoio aos Municípios e integrantes da Procuradoria-Geral do Estado (PGE).

Quer fazer parte do grupo do Portal Acontece no RS no WhatsApp? CLIQUE AQUI para entrar no grupo!

Curta também nossa página no Facebook, assim você fica sempre atualizado com as últimas notícias de todo o Rio Grande do Sul.

Acontece no RS no Facebook: https://www.facebook.com/acontecenors

 

 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.