Quinta, 29 de Julho de 2021 08:13
51 98419-1295
Saúde Lajeado / RS

Aos 23 anos, primeira caminhoneira vacinada contra Covid-19 em Lajeado sonha em aumentar frota da empresa

Gabriela Henicka administra uma transportadora ao lado do pai. Além dos serviços burocráticos, faz entregas e recentemente viajou até o Chuí.

15/06/2021 15h16
445
Por: Redação Acontece no RS Fonte: Rádio Independente
Gabriela Henicka trabalha com seu pai na empresa desde os 15 anos (Foto: Arquivo Pessoal)
Gabriela Henicka trabalha com seu pai na empresa desde os 15 anos (Foto: Arquivo Pessoal)

O desenho na pele já mostra o amor e a identificação pela profissão. No braço direito, Gabriela Henicka tem uma tatuagem, feita recentemente, com a foto de seu pai em frente a um caminhão.

A imagem possui muitos significados, já que ela é responsável por fazer entregas de mercadorias quando necessário e, na maior parte do tempo, gerencia uma transportadora, com o sonho de ter seu próprio caminhão no futuro, para então percorrer as estradas do país.

A jovem foi a primeira mulher caminhoneira a ser vacinada contra a Covid-19 em Lajeado. Ela recebeu o imunizante na quinta-feira (10) da semana passada, quando o município ampliou a vacinação para motoristas profissionais.

Aos 23 anos de idade, a profissional já carrega uma bagagem de responsabilidade e conhecimento na área. Sócia de uma transportadora, ao lado de seu pai Valmir Henicka, Gabriela diz que não teria como seguir outra profissão, mesmo que no início muitos duvidassem de seu potencial. “Eu praticamente nasci dentro da cabine de um caminhão porque a vida inteira foi isso, sempre viajava com meu pai e já falava pra ele quando eu tinha 15 anos que queria ter carteira para dirigir caminhão”, conta.

Gabriela Henicka ao lado do pai, Valmir Henicka (Foto: Gabriela Hautrive)

O fato de ter recebido a vacina contra Covid-19 representa um avanço para categoria que não parou de trabalhar durante a pandemia, conforme Gabriela. “Continuamos transportando dia e noite, pois algumas pessoas acharam que iria acabar o mundo. Teve dias que eu sai da empresa às 23h e às 4h estava de volta para poder entregar todos os pedidos dos clientes”, relata.

Mesmo que não esteja sempre na estrada, a profissional é o braço direito do pai na administração da empresa, fazendo desde a parte financeira do empreendimento, até o setor de marketing e entrega de mercadorias. Recentemente, foi sozinha dirigindo um caminhão até o Chuí, município que faz fronteira com o Uruguai, há 620 km de Lajeado. “Era algo de última hora que o cliente precisava, então meu pai chega e diz: ‘pega e vai’, e eu vou. A gente tem medo, mas engole o medo e vai embora”, relata a jovem.

Na pele a jovem estampa o amor pelo pai e pela profissão (Foto: Gabriela Hautrive)

Os desafios e preconceitos que existem em relação a uma mulher dentro da profissão são superados com a coragem, a vontade e o apoio que vem de casa, principalmente do pai.

“Ele sempre me incentivou. Minha mãe também. Todos que estavam na minha volta achavam um máximo, mas as outras pessoas não acreditavam que eu ia conseguir, então zerei a prova, não fiz nenhum ponto e desde os 20 anos tenho a CNH categoria D”.

Para o futuro a jovem, que chegou a cursar Jornalismo na Univates e mudou para Gestão de Empresas, pretende continuar empreendendo com o pai e, quem sabe um dia, largar a parte administrativa para percorrer as estradas do país dentro do seu próprio caminhão. “Quero que a gente cresça muito, ter o meu caminhão para poder viajar e levar meu pai na carona”, relata.

Recentemente, a profissional foi até o Chuí conduzindo o caminhão sozinha (Foto: Arquivo Pessoal)

Vacinação em Lajeado

Além dos caminhoneiros, motoristas e cobradores de ônibus, juntamente com outros grupos prioritários, a vacinação contra a Covid-19 seguia em Lajeado, até esta terça-feira (15), para pessoas nascidas até o dia 31 de de dezembro de 1968, ou seja, que fazem 53 anos ao longo de 2021 ou mais velhos. O serviço ocorre no drive-thru do Parque do Imigrante e no Auditório da Secretaria do Desenvolvimento Social, das 8h às 14h, sem fechar ao meio-dia.

Para quem for se vacinar por faixa etária, é necessário apresentar um documento de identificação e um comprovante de residência em Lajeado, como conta de água, luz ou outro tipo que esteja no nome da pessoa a ser vacinada. Caso não tenha, deverá fazer uma declaração de próprio punho informando nome completo legível, CPF, endereço em que reside e assinatura.

Já no caso dos caminhoneiros, é preciso apresentar Carteira Nacional de Habilitação (CNH) C, D ou E, e comprovante de residência. Já para os motoristas e cobradores de ônibus, é necessário um comprovante de vínculo com a empresa em que atua e documento de identidade, não basta apenas ter CNH da categoria solicitada.

Texto: Gabriela Hautrive

> Receba todas as notícias do Portal Acontece no RS no seu WhatsApp. Clique aqui.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.